curso de formação ministerial

Como funcionam os cursos de formação Ministerial? Saiba aqui!

Algumas pessoas se perguntam se vale a pena investir em um curso de formação ministerial. Enquanto algumas reconhecem essa importância, outras acham que estudar esse assunto pode deixar os indivíduos presos a ritos e processos, perdendo a unção e o mover do Espírito Santo.

Por mais comum que essa ideia seja, é bom deixar claro que esse é um grande engano! Isso porque os cursos desse tipo ajudam a aprofundar nas doutrinas da fé e a expandir a visão de forma considerável. Por exemplo, as pessoas interessadas nesse tipo de aprendizado podem entender questões relacionadas a conhecimentos geográficos, culturais e filosóficos — pontos que ajudam muito na interpretação bíblica em profundidade.

Se você quer entender um pouco mais como os cursos de formação ministerial funcionam, não deixe de ler este post até o final!

Qual a real importância de investir em cursos de formação ministerial?

Como adiantamos (e você já deve ter percebido), é muito comum encontrar pessoas que defendem que cursos de formação ministerial não são importantes ou podem ser desconsiderados. Elas acreditam que eles foram criados apenas para burocratizar o serviço no Reino de Deus.

Em partes, é verdade que esses cursos não são uma necessidade, mas não dá para negar que podem ser grandes aliados para quem pretende oferecer um serviço de excelência. Esse é um aspecto estimulado pelo próprio Deus: que ofereçamos a Ele o nosso melhor e com todo o coração. Isso significa que existe um trabalho de aperfeiçoamento constante da nossa parte para oferecer um ofício de qualidade.

Quem opta por estudar passa por aprofundamentos na construção da fé que fazem toda a diferença. Em um curso de teologia, por exemplo, os alunos estudam subcategorias que são verdadeiros fundamentos da fé cristã, como a Soteriologia (estudo da doutrina da salvação) e a Teontologia (teologia sistemática sobre a existência de Deus). Enquanto para alguns isso pode ser dispensável, para outros é uma oportunidade de entender a construção do cristianismo de forma mais completa.

É isso mesmo: desenvolver conhecimentos desse tipo é muito importante, pois assim a pessoa tem mais embasamento. Esse aspecto é um diferencial para quem quer se envolver com a igreja e a obra de Deus nessa Terra.

Quais são as principais disciplinas dos cursos de formação ministerial?

Quando falamos especificamente desses cursos, não dá para negar que eles contam com disciplinas específicas para o desenvolvimento de pessoas responsáveis por funções ministeriais. Nada mais natural, já que a ideia é abordar o aspecto teórico e prático para indivíduos que estão envolvidos em um trabalho desse tipo.

Para isso, o curso propõe diálogos recorrentes com a realidade eclesial e social. Entre as principais áreas exploradas, podemos destacar a Bíblia, a História, a Teologia e a Ciências Auxiliares. As disciplinas podem variar de curso para curso, mas normalmente eles contam com Literatura do Antigo e Novo Testamento, Grego, Hebraico, Espiritualidade e Teologia Sistemática.

As matérias complementares também merecem destaque, já que são verdadeiros diferenciais e podem ser abordadas conforme a necessidade de atuação de cada pessoa na igreja. Ainda assim, as mais procuradas envolvem psicologia cristã, ciência da religião, liturgia e culto, missão da igreja e administração eclesiástica.

Como funciona o processo seletivo?

O processo seletivo e a mensalidade são fatores que variam muito, pois ficam a critério de cada instituição. Ainda assim, de um modo geral, há a abertura para inscrições a cada novo semestre. O processo também é variável, mas pode ter provas escritas e entrevistas de profundidade para entender o interesse do candidato e a aplicabilidade do curso às suas funções. Depois de ser aprovado e selecionado, o aluno é comunicado e deve seguir com a matrícula.

Vale destacar também a crescente demanda por cursos desse tipo pela internet. Essa é uma ótima forma de atender as pessoas com conteúdos de qualidade, mas de forma menos burocrática e mais fácil. Isso porque, como não existe uma limitação de alunos por classe, vários alunos podem participar de forma conjunta e enriquecer seus conhecimentos.

O que levar em consideração na hora da escolha?

Se você quer fazer uma boa escolha no momento de procurar um curso desse tipo, é importante levar alguns aspectos em consideração? Nós elencamos os principais abaixo.

Qualidade do conhecimento

O primeiro aspecto a considerar é a qualidade do conhecimento. Como esse é o principal ganho que os alunos podem ter, é bom ser criterioso e analisar esse fator com calma. Por isso, avalie as matérias disponíveis e a qualidade do que é transmitido.

Se você está em dúvida sobre a importância desse ponto, então pense como seria dedicar horas ao curso de formação ministerial e perceber que ele não está acrescentando muita coisa por ser um verdadeiro desperdício de tempo. A sensação não é das melhores, não é mesmo?

Facilidade para tirar dúvidas e avaliação

Esses cursos podem despertar dúvidas e dilemas — e é importante ter um fluxo para que esses alinhamentos sejam feitos. Somado a isso, é essencial avaliar o seu desenvolvimento por meio de avaliações periódicas, pois essa é uma ótima forma de testar a absorção dos conteúdos.

Ainda assim, é bom destacar que o aluno deve estar aberto a novas formas de avaliação. Hoje em dia, por exemplo, as provas virtuais ganharam muito espaço e substituíram significativamente os modelos de papel.

Credibilidade da instituição de ensino e certificação

Outro aspecto relevante é a qualidade da instituição de ensino. Ela deve ser idônea, com credibilidade de mercado e bem avaliada por outros alunos que já estudaram ali. Procure ainda por um local que ofereça certificação, já que esse é o principal comprovante do tempo que você dedicou aos estudos.

Agora que você já sabe como funciona o curso de formação ministerial, não deixe de investir nesse tipo de conhecimento. Essa é uma ótima forma de se capacitar para o trabalho, seja como líder, professor de escola dominical ou administrador eclesiástico. São muitos os papéis dentro da igreja, mas é bom estar preparado para oferecer o seu melhor sempre.

Se você quer conhecer um curso de qualidade, entre em contato conosco agora mesmo e confira as opções que temos disponíveis! 

Deixe um comentário